domingo 25 Jun 2017

Artur Fidalgo: Porque três é demais

hilde2
Começa a temporada de luzes, invenções e visões em Copacabana. É nesse clima que o marchand Artur Fildalgo anuncia – para hoje – a abertura simultânea de três individuais em sua galeria, em Copacabana.
.
Hildebrando de Castro – que contabiliza 22 anos de serviços prestados à arte – traz um pouco de sombra e área fresca para as paredes da galeria ao comentar a arquitetura modernista de Le Corbusier (acima). As lâminas de brise-soleils são representadas através de gestos precisos num pincel cada vez mais afiado.
.
O artista conta que começou a fotografar compulsivamente exemplares da arquitetura moderna brasileira, e que durante dois anos aguardou pela melhor maneira de representar-lhes. Confira aqui uma entrevista do artista à Maria Alice Milliet. E aqui o que diz O Globo sobre essa exposição.
.
“Fiquei muito impressionado com as linhas e a luz intensa projetada no prédio do anexo da Câmara dos Deputados. Era como estar a frente de uma sinfonia infinita de composições que se modificavam a cada abrir e fechar das lâminas do brise”, lembra. Os trabalhos desta série, fruto de um rigoroso e supreendente exercício geométrico, celebram o  diálogo entre abstração e figuração.
hilde1
Franz Manata e Saulo Laudares

Franz Manata e Saulo Laudares: site specific

Franz Manata e Saulo Laudares – que há 16 anos investigam diferentes mídias e áreas do pensamento – apostam no elemento surpresa como ingrediente desse site specific no chamado Armazém Fidalgo. Na elaboração do trabalho, consideraram inclusive a natureza comerciais do espaço: um shopping com galerias, antiquários e teatro.

Julia Debasse: Mas e Se Cair?

“Mas, e Se Cair?”: imagens recorrentes

 

Julia Debasse, por sua vez, especula sobre a formação do Brasil na mostra A Primeira Comitiva, em que recorre à figuras e animais presentes no imaginário brasileiro. Debasse coloca na mesma cena João Cândido e Arthur Bispo do Rosário – que segundo ela serviram juntos à Marinha -, um lobo guarás e um Fila Brasileiro, uma sabiá-laranjeira e Joaquim Nabuco, um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras.

Julia Debasse_montagem

Julia Debasse reconta a história do Brasil desde a colonização

Leave a Comment

Powered by WordPress | Deadline Theme : An AWESEM design