segunda 21 Ago 2017

Black Alien faz única apresentação no Teatro Rival no sábado

Gustavo Black

No próximo sábado, dia 10 de setembro, o rapper de Niterói Gustavo Black Alien faz show no Teatro Rival, acompanhado de Will Bone (sopros, teclado e baixo), Vitor Cabral (bateria e guitarra) e o DJ Castro. Black Alien é um dos principais nomes do rap brasileiro. Atualmente, está em turnê pelo Brasil com o show do tão esperado disco “Babylon by Gus vol. II – No Princípio Era o Verbo”, o segundo álbum solo de sua carreira.

Compre aqui o seu ingresso.

IMG6-460x460Com 12 faixas inéditas, o trabalho conta com participações de peso como: Luiz Melodia – faixa “Quem é Você”; Kamau e Parteum – faixa“Skate no pé”; Edi Rock em “Rock’n’Roll” e a presença feminina de Céu emprestando sua voz em “Somos o Mundo”.

Na capa do novo disco, com a praia de Icaraí ao fundo, Mr. Niterói joga xadrez com sua própria morte. A capa, do Petit Pois Studio, faz referência ao filme “O sétimo selo”, do sueco Ingmar Bergman.

O jornalista Eduardo Schmalter colaborou com o Supergiba assinando uma resenha sobre o disco.

“Novamente muito bem produzido por André Basa, o segundo volume de certa forma repete a fórmula de sucesso do primeiro, alternando músicas mais pesadas, definidas pelo próprio compositor como músicas de guerra, e outras mais leves e românticas, músicas de amor”, escreveu.

Black Alien subiu ao palco, pela primeira vez, em 1993, desde então nunca mais parou. Fez parte da dupla ” Black Alien e Speed” , cantou com o grupo Planet Hemp de 1996 à 2001, quando decidiu fazer carreira solo. O primeiro disco veio em 2004, intitulado “Babylon by Gus vol. I – O Ano do Macaco”, considerado um clássico do rap nacional.

Gravado em aproximadamente 1 mês, o álbum reúne sucessos como Mister Niterói, Na segunda vinda e Caminhos do Destino.

Mr. Niterói – A Lírica Bereta

Em 2007, Ton Gadioli, diretor estreante, começar a rodar um documentário sobre sua vida artística, intitulado Mr. Niterói – A Lírica Bereta, ano no qual Black Alien raspou seus dreadlocks, uma mudança de visual inesperada.

O filme traça sua carreira e um pouco de sua controvérsia infância e vai muito além de mostrar apenas as influências, seu estilo de rima e as diversas possibilidades de se fazer música. A narrativa aos poucos vai mostrando também o lado humano do personagem. Seus triunfos, erros, sonhos e perspectivas para o futuro.

O objetivo maior do filme foi mostrar para quem ainda não conhece, quem é Black Alien, e para quem ja conhece mostrar sua trajetória musical, deixando sua vida pessoal apenas reservado a ele mesmo.

No dia de sua estreia, no dia 24 de novembro de 2011 em Niterói, o pequeno auditório da UFF (Universidade Federal Fluminense) ficou lotado com mais de 500 pessoas e mais de 50 pessoas do lado de fora querendo entrar.

No mesmo ano, o documentário é selecionado para o festival de cinema da Costa do Sol em Cabo Frio e ganha o prêmio de melhor personagem biografado para Gustavo Black Alien, além de ser convidado para o festival Ponto Cine em Fortaleza no Ceará.

Leave a Comment

Powered by WordPress | Deadline Theme : An AWESEM design